Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 16 de março de 2011

CAÇADOR: UNIARP DESENVOLVE PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO

A Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP) é uma das parceiras junto com o Governo do Estado, do projeto De Óleo no Futuro. O projeto faz parte do Programa Estadual de Coleta, Reciclagem e Beneficiamento do Óleo de Cozinha, lançado pela Diretoria de Saneamento e Meio Ambiente (DSMA), da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Instituído pela lei estadual nº 14.330, de 18 de janeiro de 2008 o Programa prima pela adoção de medidas de proibição de lançamento ou liberação de poluentes nas águas ou solo. 

O objetivo é conscientizar alunos e sociedade em favor do meio ambiente, favorecendo a reciclagem dos óleos e gorduras, desde a coleta, transporte e revenda, até os processos industriais de transformação.

A UNIARP participa do programa na fase de coleta e transformação do óleo recolhido em sub-produtos, como biodisel, sabonetes, sabão e outros. Para isso, está utilizando sua estrutura de laboratórios, quadro docente e acadêmicos, numa ação que conscientização ambiental e aprendizagem. O trabalho, que já começou com a produção de sabão em barra, será apresentado durante as festividades dos 77 anos de Caçador, de 25 a 27 de março no Parque das Araucárias, no stand da UNIARP na Feira Multissetorial.

Faça a sua parte!

A UNIARP estará com um ponto de coleta de óleo de cozinha usado no stand no Parque das Araucárias. Quem quiser e puder colaborar, receberá em troca uma amostra de sabão em barra, produzido a partir da reciclagem do óleo.

O processo de reciclagem do óleo é simples, mas exige a contribuição de todos para funcionar devidamente. Depois de usado o óleo de fritura, deve ser resfriado e armazenado em uma garrafa pet. Depois a garrafa deve ser levada ao ponto de coleta. Produtos como sabão, detergente, adubo orgânico, sabão em pasta e massa de vidro são resultados da reciclagem do óleo.

Fonte:

 

 

Reaproveitamento de resíduos em Sorriso gera emprego e renda

Fonte: Sany Lisboa

 

O município de Sorriso é referência em Mato Grosso no que se refere à política de coleta seletiva e destinação de resíduos. Por meio de decreto, a prefeitura criou a Comissão Técnica para o Gerenciamento de Resíduos, que redefine as políticas na área. Esse grupo é formado por servidores públicos, secretários municipais, coordenadores e pessoas da comunidade, como líderes comunitários e catadores.

Baseado nesta política, uma parceria entre os catadores e a prefeitura possibilitou a reativação da Cooperativa de Seleção e Comercialização de Material Reciclável (Coopermars). Além da assessoria jurídica para a regularização da entidade, o órgão disponibilizou um caminhão para a cooperativa, que também adquiriu outro veículo. Os cooperados também receberam 20 carrinhos adaptados para recolherem os recicláveis da cidade. Um trabalho de divulgação foi feito e toda a toda a comunidade, principalmente os comerciantes e industriais que são grandes geradores de resíduos, estão envolvidos no trabalho. Eles separam os recicláveis para serem recolhidos pelos carrinhos e pelos caminhões.

Quando chegam à cooperativa , os materiais recolhidos como papelões, garrafas pet, entre outros, são separados e passam por uma prensa. Empresas do ramo localizadas em Sorriso e de municípios vizinhos compram esse material prensado. "O material reciclável resultava em um volume grande para o aterro sanitário e quando era enviado para aquele local, diminuía a vida útil das valas", explica o prefeito Chicão Bedin.

Reciclar

Outra ação resultante dessa nova política é o programa Reciclar, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde e Saneamento em parceria com a Agrosoja . O projeto promove a saúde ambiental e o desenvolvimento de ações voltadas para o reaproveitamento adequado do óleo residual de fritura, produzido nos estabelecimentos comerciais e lares do município de Sorriso.

No ano passado foram coletados 12.500 litros de óleo, deste modo o processo de incentivo à reciclagem faz com que os resíduos de óleo não sejam reaproveitados para o consumo humano, o que traz malefícios à saúde, e também não sejam descartados de forma inadequada para gerar outros resíduos poluentes.

Os postos para o recolhimento funcionam nos grandes supermercados da cidade. A cada seis litros de óleo de fritura, o morador recebe um litro de óleo novo. Todo o resíduo recolhido é comprado pela empresa Agrosoja que o transforma em biodiesel. Além de pagar os supermercados, o dinheiro é revertido para financiar ações do próprio projeto. "Ações simples como essa trazem impactos positivos para o meio ambiente. E para fazer não é necessário dispor de grandes investimentos, só é preciso empenho e organização. Além da condução do próprio Poder Público, a participação da comunidade nestas iniciativas é fundamental para que a ação dê resultado significativo. Grande parte da população de Sorriso está consciente do seu papel neste processo", avalia o prefeito Chicão Bedin. 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário