Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 30 de junho de 2011

FIRJAN PROMOVE A Rio Ambiente NOS DIAS 06, 07 e 08 DE JULHO 2011 - VEJA Programação

 

6 de julho (quarta)

7 de julho (quinta)

8 de julho (sexta)

14h às 18h –Fórum Rio Ambiente – Abertura(Centro de Convenções – 2º andar):

 

Abertura

Sistema FIRJAN | Secretaria de Estado do Ambiente | Ministério do Meio Ambiente | UFRJ | Uerj

 

Palestras Magnas

·       Pagamentos por Serviços Ambientais Urbanos para Gestão de Resíduos Sólidos

Jorge Hargrave – Ipea

 

·       Rio+20: Desafios e Oportunidades

Samyra Crespo – Secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente

14h às 18h –Fórum Rio Ambiente – Painel 1(Centro de Convenções – 2º andar):

 

Painel 1 – Gestão de Resíduos no Estado do Rio e a PNRS

 

·       Implementação da PNRS: Pontos de Interesse da Indústria

Wanderley Coelho Baptista – CNI (a confirmar)

 

·       Gestão de Resíduos e Inovação

Fabiano Gallindo – Sistema FIRJAN

 

·       Gestão de Resíduos no Rio de Janeiro: Case Comlurb

Angela Fonti – Comlurb

 

·       Impacto da PNRS para o aquecimento global

Guilherme de Castilho Queiroz – Cetea

 


---------------------------

15h às 18h30 - Palestras Técnicas (40 andar)

15h às 17h –Palestra 1 – Produção Mais Limpa no Setor Moveleiro – CTS Ambiental (4º andar)

 

17h10 às 17h50 – Palestra 2 – Rótulo Ecológico – ABNT (4º andar)

 

17h50 às 18h30 – Palestra 3 Coprocessamento, solução ambiental para resíduos - ABCP (4º andar)

 

14h às 18h –Fórum Rio Ambiente – Painel 2(Centro de Convenções – 2º andar):

 

Painel 2 – Cadeia de Reciclagem na Dinâmica da Logística Reversa

 

·       Cadeia da Reciclagem

Elen Vasques Pacheco – Instituto de Macromoléculas da UFRJ

 

·       Organizações empresariais no desenvolvimento da reciclagem

Glauco Pessoa – Sindieco

 

·       Logística da reciclagem

Vladimir Kudrjawzew – Eco2corp

 

·       Catadores na dinâmica da reciclagem

Gonçalo Guimarães – Coppe/UFRJ

--------------------------

16h30 às 18h - Palestras Técnicas (40 andar)

16h30 às 17h10 –Palestra 4 – Ecologia Industrial com foco no setor eletroeletrônico – PC Vida (4º andar)

 

17h10 às 18h – Palestra 5 – Identificação de Aspectos Ambientais na Logística Reversa - Dinâmica de Grupo - Dinâmica da Terra   (4º andar)

 

 

13h às 20h -Exposição de Tecnologias e Soluções Ambientais - (40 andar)

 

 

 

 

 

Eventos paralelos (vagas esgotadas):

 

6 a 8 de julho, de 9h às 12h:

Oficina A – Aspectos Técnicos da PNRS e Gestão de Resíduos(Sala 1 – 4º andar –

mais informações)

Oficina B – P+L e Análise do Ciclo de Vida (Sala 2 – 4º andar – mais informações)

 

7 de julho, de 8h às 13h:

Troca Ambiental – Empresa CRR Reciclagem (visita técnica – mais informações)

 

 

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O Rio de Janeiro Seminário Internacional "Governos de esquerda e progressistas na América Latina e no Caribe: balanço e perspectivas".

O seminário é uma iniciativa da Fundação Perseu Abramo e da Fundação Maurício Grabois

 

O evento acontecerá na UFRJ (campus Fundão) e contará com a presença de professores como Theotôno dos Santos e Luis Fernandes, da ministra Miriam Belchior, além de representantes de governo de Cuba, Uruguai, Chile, Peru, Nicarágua, Argentina e Equador.

 

O evento também marcará a despedida do reitor da UFRJ, professor Aloísio Teixeira.

 

Gostaria de pedir a ajuda de vocês para divulgar o evento, além de poder contar com a presença de todos por lá.

A inscrição é gratuita e pode ser feita no => http://www.governosdeesquerda.org.br

 

<http://www.governosdeesquerda.org.br/>

 

*Programação preliminar * *30/06 – (quinta-feira)*

 

18h-19h – Abertura : Integrantes da mesa:

 

• Prof. Aloísio Teixeira - reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

• Adalberto Monteiro - presidente Fundação Mauricio Grabois

• Nilmário Miranda - presidente da Fundação Perseu Abramo

• Valter Pomar - secretário Executivo do Foro de São Paulo

 

19h - 19h30 - Mesa “A experiência brasileira”

 

Integrante da mesa:

• Ministra Miriam Belchior - Planejamento, Orçamento e Gestão (a confirmar)

 

19h30 - 21h30 - Mesa “A esquerda nos governos: projetos nacionais e estratégias socialistas na América Latina e Caribe”

 

Temática: Partidos de esquerda integram hoje um número importante de governos latino-americanos e caribenhos. Partindo desta posição, buscam implementar medidas de caráter nacional, democrático e popular. Enfatizam os temas da integração continental, as relações Sul-Sul e o multilareralismo.

 

Que balanço fazemos deste processo em cada um dos países e no continente?

Como se articula com os objetivos estratégicos socialistas?

 

Integrantes da mesa:

 

• Iole Ilíada - secretária de Relações Internacionais, Partido dos Trabalhadores (PT) – Brasil

• Renato Rabelo - presidente do Partido Comunista do Brasil (PC do B) –Brasil • Representantes da Venezuela, Bolívia e Uruguai

• Debate com o público 1/7 (sexta-feira)*

 

9h30 - 13h - Mesa “O mundo em transição: governos de esquerda na América Latina e Caribe e a nova configuração geopolítica internacional”

 

Temática: Análise do desempenho dos governos de esquerda e progressistas de nosso continente, em um marco global de aprofundamento da crise do capitalismo, com novos fenômenos e importantes consequências econômicas e políticas. Reflexão sobre as grandes mudanças que ocorrem nas relações geopolíticas e internacionais, caracterizando um período de transição. As novas potencialidades abertas pela progressiva tendência na América Latina e Caribe, onde a integração regional avança, e as novas ameaças da direita e do imperialismo.

 

Integrantes da mesa:

• Roberto Amaral - vice-presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) Brasil

• Representantes de Cuba, Nicarágua, Venezuela e Equador

Debate com o público

 

14h30 – 18h - 3 sessões simultâneas: Mesa “Capitalismo contemporâneo: a crise, os novos fenômenos e suas expressões na América Latina e no Caribe”

 

Temática: A caracterização da crise atual do capitalismo. O imperialismo de hoje, os novos fenômenos do capitalismo contemporâneo e as peculiaridades da economia latino-americana e caribenha. América Latina e Caribe frente à decadência relativa da economia dos EUA, União Européia e Japão, e a ascensão dos BRIC. Os governos progressistas da América Latina e do Caribe, as políticas adotadas para conter os efeitos da crise na região e a integração econômica do continente.

 

Integrantes da mesa:

• Theotônio dos Santos, economista e cientista político, professor da Universidade de Brasília (UNB), Brasil

• Representantes de Cuba e da Bolívia • Debate com o público

 

Mesa “A política de defesa da América Latina e do Caribe e a política de guerra e militarização dos EUA-OTAN”

 

Temática: Avaliação da tendência para uma maior autonomia e independência da América Latina e do Caribe frente a ingerências exógenas de potências extra-regionais, especialmente as questões de estratégia e defesa nacional.

 

Os exemplos desta tendência, como o surgimento do Conselho Sul-Americano de Defesa da UNASUL. A reação das potências centrais, com a expansão do conceito estratégico da OTAN para o Atlântico Sul, a manutenção e a expansão das bases militares na América Latina e no Caribe e a IV Frota. O debate sobre esta disjuntiva: autonomia estratégica versus novas ameaças imperialistas.

 

Integrantes da mesa:

• Arturo Núñes Jiménez – senador do Partido da Revolução Democrática, México

• Representantes da Argentina e da Colômbia

• Debate com o público

Mesa “Os organismos, processos e estruturas da integração regional”

 

Temática: As iniciativas de integração latino-americanas ao longo da história. A integração continental nas últimas duas décadas.

O papel dos governos de esquerda e progressistas da região na recuperação e reorientação  dos processos de integração na América Latina e no Caribe. Os 20 anos do Mercosul e suas sucessivas fases. A experiência da ALBA. A UNASUL, a CELAC e os projetos de integração política, econômica, social e cultural. A OEA e sua instrumentalização pelos EUA. A necessária convergência dos diversos organismos, processos e estruturas de integração sub-regional e regional.

 

Integrantes da mesa:

• Rafael Follonier - Coordenador de Assuntos Técnicos da Unidade

 

Presidencial, Argentina • Representantes da Venezuela e do Brasil

 

• Debate com o público *2/7 – (sábado)*

 

9h30 às 13h - Mesa “Integração, democracia e desenvolvimento: as políticas dos governos de esquerda na América Latina e no Caribe”

 

Temática: Análise global dos projetos e políticas nacionais que estão sendo aplicados pelos governos progressistas, populares e de esquerda hoje na América Latina, com vistas à superação dos traços neoliberais.

 

Caracterização geral destes projetos no contexto da correlação de forças políticas e a etapa atual do desenvolvimento do capitalismo, levando em conta as peculiaridades nacionais. Avaliação do modelo de desenvolvimento e das políticas macro e microeconômicas, com especial atenção a seus impactos sobre o crescimento econômico, na distribuição da renda e da riqueza, a geração de postos de trabalho, a estrutura produtiva e a plataforma das exportações nacionais. A relação destas políticas com a consecução de projetos de integração regional.

 

Integrantes da mesa:

 Marco Aurélio Garcia - assessor especial de Política Externa da Presidência da República – Brasil • Gustavo Codas Friedman - Diretor-Geral da Itaipu Binacional – Paraguai

 

• Oscar Laborde - Embaixador, Representante Especial para a Integração do Mercosul – Argentina

• Ana Elisa Osório - Deputada do Partido Socialista Unido, Vice-Presidenta do Grupo Parlamentar Venezuelano no Parlamento Latino-Americano – Venezuela

• Hector Dada - ministro da Economia de El Salvador

• Debate com o público

 

14h30 – 18h - 4 sessões simultâneas

 

Mesa: “Política econômica e desenvolvimento sustentável”

 

Temática: Discussão sobre o caráter sustentável dos modelos de desenvolvimento aplicados pelos governos de esquerda e progressistas da região, tanto no que diz respeito às questões ambientais como às sociais.

 

Análise das contradições mais importantes a enfrentar em termos dos impactos produzidos pelo modelo sobre os ecossistemas e as populações tradicionais emseu modo de vida. Considerações sobre os aspectos a transformar e os obstáculos a superar, assim como os temas pendentes a enfrentar.

 

Integrantes da mesa:

• José Rivera Santana - Co-Presidente do MINH - Porto Rico

• Representantes da Bolívia e do Brasil

 

Mesa: “Estado, democracia e participação popular”

 

Temática: Reflexão sobre o Estado no qual atuam os governos de esquerda e progressistas da América Latina e do Caribe, sua estrutura e seus mecanismos, inclusive as relações entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Análise do funcionamento e do alcance da democracia, com ênfase na questão do papel dos partidos, a participação popular e o acesso democratizado às formas de expressão pública e aos meios de comunicação.

 

Considerações sobre os aspectos a transformar e os obstáculos a superar.

 

Integrantes da mesa:

• Doris Solís - Ministra Coordenadora de Política – Equador

• Soledad Barría - ex-ministra do governo Bachelet – Chile

• Representante de Cuba

• Debate com o público

 

Mesa “Políticas sociais, redução das desigualdades e acesso aos direitos universais”

 

Temática: Avaliação das políticas públicas implementadas pelos governos de esquerda e progressistas da região, com o objetivo de ampliar e democratizar o acesso aos direitos universais como educação, saúde, saneamento e moradia.

 

A exposição das medidas adotadas para erradicar a fome e a miséria.

Considerações sobre os aspectos a transformar e os obstáculos a superar.

 

Integrantes da mesa:

• Vanda Pignato, Secretária de Inclusão Social - El Salvador

• Ana Vignoli, ministra do Desnvolvimento Social – Uruguai

• Representante da Venezuela

• Debate com o público

 

Mesa “Política externa, integração e soberania nacional”

 

Temática: Discussão sobre as orientações da política exterior adotadas pelos governos de esquerda e progressistas da América Latina e do Caribe, com ênfase em sua relação com os demais países da região e sua participação nos processos de integração latino-americanos e caribenhos.

 

Análise das  relações geopolíticas estabelecidas com o Norte e com os demais países do Sul. Exame das posições dos governos e suas propostas em relação à atual arquitetura política e econômica mundial, assim como os mecanismos e as ações de afirmação da soberania nacional frente à ordem internacional. Considerações sobre os aspectos a transformar e os obstáculos a superar. Integrantes da mesa: • Luís Fernandes - professor do Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) – Brasil • Representantes da Nicarágua e do Equador

 

• Debate com o público

 

sábado, 18 de junho de 2011

CENTRAL QUE SUBSTITUIRÁ LIXÕES NA BAIXADA TERÁ TRABALHO DE 100 CATADORES

CENTRAL QUE SUBSTITUIRÁ LIXÕES NA BAIXADA TERÁ TRABALHO DE 100 CATADORES

RIO - A Caixa Econômica Federal vai financiar, com cerca de R$ 400 milhões, a Central de Tratamento de Resíduos Santa Rosa (CTR) de Seropédica, no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O projeto prevê o encerramento dos lixões de Seropédica e Itaguaí e a implantação de um programa de assistência para cerca de 100 catadores da região.

As negociações para a concessão do financiamento estão em fase conclusiva, disse à Agência Brasil a gerente de Clientes e Negócios da Caixa, Denise Seabra.

A CTR de Seropédica começou a funcionar em abril deste ano. A unidade é uma concessão da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) à Ciclus, empresa responsável por sua operação. Além dos resíduos do Rio de Janeiro, a central receberá o lixo dos municípios de Itaguaí e Seropédica, transformando o biogás, que é um dos principais poluentes gerados pela decomposição do lixo, em ativo econômico.

Para fazer o monitoramento do empreendimento, a Caixa desenvolveu um conjunto de diretrizes sociais e ambientais que vai aplicar em todos os projetos de aterros sanitários e de crédito de carbono que financia. “Sob esse escopo, uma das questões que a gente tinha que desenvolver era o plano para os catadores”, disse Denise Seabra. Com isso, foi criado o Plano de Inserção Social de Catadores (Pisca), fruto de parceria com o Banco Mundial (Bird). A organização multilateral está transferindo a sua experiência de atuação no mercado de carbono à Caixa.

A Caixa está negociando com a Ciclus a comercialização dos créditos de carbono que forem gerados pela central de resíduos. Monitorado pela Caixa e pelo Bird, o projeto deverá ser replicado em outras regiões brasileiras.

 

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ONU RECONHECE QUE NÃO CONSEGUIRÁ CUMPRIR PRAZO PARA SUBSTITUIR QUIOTO

CANADÁ REJEITA PRORROGAR ‘KYOTO’ E CAUSA IMPASSE NA CÚPULA DO CLIMA

 

O Canadá confirmou nesta quarta-feira (8) que não vai apoiar uma possível prorrogação do Protocolo de Kyoto, que deverá vencer no fim de 2012, se posicionando ao lado de Japão e Rússia na rejeição de negociações para um novo pacto climático de emissões. O atual protocolo obriga que as nações industrializadas reduzam suas emissões entre 2008 e 2012. O Canadá exige que os Estados Unidos e alguns (...)

 

ONU RECONHECE QUE NÃO CONSEGUIRÁ CUMPRIR PRAZO PARA SUBSTITUIR QUIOTO

 

As negociações climáticas internacionais não tem mais como evitar que depois do término do Protocolo de Quioto, em dezembro de 2012, exista um período que o planeta ficará sem nenhum tipo de acordo para limitar as emissões. Isto porque para adotar novas metas com a mesma força legal os países devem passar essas decisões pelos seus parlamentos, o que levaria mais tempo do que o disponível.

 

Fonte: Instituto CarbonoBrasil/Agências Internacionais - Fabiano Ávila

 

COMISSÃO APROVA SISTEMA NACIONAL DE REDD

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 195/11, da deputada Rebecca Garcia (PP-AM), que institui o sistema nacional de redução de emissões por desmatamento e degradação, conservação, manejo florestal sustentável, manutenção e aumento dos estoques de carbono florestal (REDD+).

 

O relator, deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), foi favorável à proposta, com emendas.  “O desmatamento e as queimadas respondem por mais de metade do total de emissões brasileiras de gases de efeito estufa, cifra que sobe para cerca de 3/4 quando se considera apenas o gás carbônico”, explicou.  Segundo ele, o sistema ajudará a conter a perda das florestas e contribuirá para reduzir o impacto da mudança do clima.

 

Na prática, o sistema REDD+ vai criar uma espécie de mercado de carbono interno, que pode gerar créditos para a obtenção de financiamentos, ou gerar certificados para serem usados na compensação de emissões de gases de efeito estufa no território nacional ou em outros países.

 

Além da redução das emissões de gases de efeito estufa provenientes do desmatamento e da degradação florestal, a proposta tem como objetivo a conservação da biodiversidade; a manutenção e aumento dos estoques de carbono florestal; a valoração dos produtos e serviços ambientais relacionados ao carbono florestal; e o reconhecimento e repartição dos benefícios decorrentes da implementação do sistema.

Áreas florestais A proposta considera como possíveis beneficiadas pelas políticas, programas e projetos de REDD+, individual ou conjuntamente, áreas florestais em:

- terras indígenas;

- unidades de conservação legalmente instituídas no âmbito dos sistemas nacional, estaduais ou municipais de unidades de conservação;

- áreas legitimamente ocupadas por populações tradicionais, no interior ou fora de unidades de conservação e outras áreas públicas;

- territórios quilombolas;

- assentamentos rurais da reforma agrária;

- propriedades privadas.

- outros imóveis de domínio da União, de estados ou de municípios.

Entre as propriedades privadas, o texto original incluía as áreas de reserva legal, preservação permanente (APPs) e servidão florestal, previstas na Lei 4.771/65, e de servidão ambiental, de que trata a Lei 6.938/981. Porém, emenda do relator estabelece que regulamento irá dispor sobre a inclusão dessas áreas.

Instrumentos


Outra emenda acrescenta, aos instrumentos previstos para a implementação do sistema REDD +, os planos nacional e estaduais de recursos hídricos; e o zoneamento ecológico-econômico.  Outros instrumentos previstos são o Plano Nacional sobre Mudança do Clima (Lei 12.187/09); e os planos nacionais ou por bioma de prevenção e controle do desmatamento e de controle e prevenção de queimadas e incêndios florestais, assim como os planos estaduais e outras políticas e programas desenvolvidos com a mesma finalidade, em âmbito federal, estadual e municipal.

Financiamento


O sistema REDD+ poderá ser financiado por fundos nacionais como o de Mudança do Clima; o da Amazônia; o do Meio Ambiente; e de Desenvolvimento Florestal.  Os recursos também podem ser provenientes de acordos bilaterais ou multilaterais sobre clima; acordos decorrentes de ajustes, contratos de gestão e convênios celebrados com órgãos e entidades da administração pública federal, estadual ou municipal; doações; comercialização de créditos de carbono e, ainda, verbas do Orçamento da União ou privadas.

Tramitação

A proposta, de caráter conclusivo, seguirá para análise nas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

terça-feira, 14 de junho de 2011

UE ESTUDA ESTENDER SOZINHA O PROTOCOLO DE QUIOTO

Universidad Privada del Norte: La importancia de la Marca Personal e Institucional

Descrição: Descrição: http://limanorte.files.wordpress.com/2011/06/upn_ines_temple.jpg?w=400&h=228#038;h=228
- Profesionales deben aplicar nuevas estrategias para garantizar empleo
- Frente al bajo nivel de crecimiento del empleo, una forma de asegurar su permanencia en el mercado es crear su marca personal con nuevos valores agregados. -
Leer más de este artículo

UE ESTUDA ESTENDER SOZINHA O PROTOCOLO DE QUIOTO

Pela primeira vez o bloco estaria considerando dar continuidade ao tratado, que termina em dezembro de 2012, mesmo sem a participação dos Estados Unidos e com o abandono de outros países desenvolvidos, como Japão e Canadá - Leia mais

 

LANÇAMENTO DO COMITÊ NACIONAL DE ORGANIZAÇÃO DA RIO+20

 

Brasília, 09 jun (RV) - Lançado, nesta terça-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, o Comitê Nacional de Organização da Conferência das Nações Unidas “Rio+20”, encontro de líderes mundiais a ser realizado durante a Semana do Meio Ambiente, em junho de 2012, no Rio de Janeiro. O lançamento contou com a presença da Presidente da República, Dilma Rousseff, e do Subsecretário Geral para Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas (ONU), Sha Zukang.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

ONU ressalta importância das florestas para progresso econômico

ONU ressalta importância das florestas para progresso econômico

 

Hoje, 5 de junho, o mundo comemora o Dia do Meio Ambiente. A data foi criada em 1972, na Conferência de Estocolmo, para alertar governos e populações sobre os cuidados com o meio ambiente. No ano de 2011, o tema estabelecido pela ONU para reger as comemorações é "Florestas: a Natureza a seu Serviço". O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon afirmou que o embate entre o crescimento econômico e a sustentabilidade pode atrasar os progressos realizados, principalmente em relação à erradicação da pobreza.

 

Fonte: TN Sustentável

C40: Banco Mundial facilita crédito a projeto ambiental

São Paulo - O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, e o prefeito de Nova York e presidente da Rede C40 de Grandes Cidades, Michael Bloomberg, assinaram hoje um protocolo de intenções destinado a facilitar o acesso das cidades a recursos do Banco Mundial para projetos ambientais. O protocolo foi assinado pela manhã em São Paulo. A capital paulista é sede da C40, reunião de prefeitos de mais de 40 cidades do mundo para discutir projetos ligados a mudanças climáticas e qualidade de vida. "Com esse protocolo, esperamos abrir uma nova janela de oportunidades para as cidades", disse Zoellick.

Fonte: Agencia Estado

 

Emisión de gases contaminantes llegó a niveles récord en el 2010

Se emitieron 30,6 gigatoneladas de CO2. Hay 50% de probabilidades de que la temperatura mundial aumente más de 4 grados para 2100

Fuente: (FIN) DCT/JPC