Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

RJ investirá no mínimo R$1,1 bi em Ciência e Tecnologia até dezembro, diz secretário

A Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro deve terminar 2010 com um investimento acumulado em quatro anos de no mínimo R$1,1 bilhão em projetos de ciência, tecnologia e inovação, disse o secretário Alexandre Cardoso durante o evento de 30 anos de atuação da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) no final de março.
Faperj dobra o investimento do programa de apoio à inovação
Rio de Janeiro regulamenta política de inovação e meio ambiente

Cardoso, no entanto, disse que vai buscar recursos extras para poder elevar este investimento para um total de R$2 bilhões.

"Se os municípios inicialmente assistidos pelos programas de inovação e tecnologia para micro e pequenas empresas eram 12, no começo da atual gestão, e, hoje, passaram a ser 76, nossa meta é a de atingir todas as cidades fluminenses", afirmou Cardoso.

A Feira Faperj 30 anos, apresentou os resultados da sua atuação da fundação no fomento à C,T&I à sociedade científica fluminense.

Em sua fala, o secretário de Ciência e Tecnologia do estado, Alexandre Cardoso, destacou a importância aproximar as diversas instituições de pesquisa entre si e com as empresas e afirmou que o evento foi uma forma clara de mostrar onde estão sendo empregados os recursos do governo do estado.

Segundo o secretário, a regulamentação da lei de inovação no início de 2010 deve não só ajudar a expandir o sistema de fomento ciência e tecnologia, mas vai também abrir espaço para novas iniciativas.

"Temos que criar programas estaduais de C,T&I, criar um conselho de C,T&I, e tornar as empresas inovadoras", disse o secretário. "E a Faperj tem esse papel."

A decisão do governador Sérgio Cabral de repassar os 2% da arrecadação tributária liquida do estado para a fundação foi elogiada pelo secretário, pois, segundo ele, administração anteriores não repassavam o total exigido pela lei.

Marques, atribuiu os bons resultados atingidos pela Faperj à comunidade científica e tecnológica e aos recursos estaduais, que são oriundos da arrecadação tributária líquida, o que mudou a capacidade de fomento da instituição.

referente a: iGoogle (ver no Google Sidewiki)

Nenhum comentário:

Postar um comentário